Política

Prefeito de Tabatinga, Saul Bemerguy é entrevistado por Otávio Souza da Rádio Amazonas 90,3

Em entrevista, o prefeito respondeu às perguntas dos ouvintes e fez esclarecimentos importantes para a população

A entrevista foi realizada no dia 25 de maio de 2018 e a pauta foi principalmente sobre a malha viária, asfalto, concreto e reunião com o governo estadual.

Otávio Souza: Sobre o solo de Tabatinga, o senhor como Prefeito afirma que o concreto é a melhor forma de obtermos uma rua com melhor acesso para a população tabatinguense?

Saul – Não tenha dúvida que para Tabatinga é o concreto. Eu mesmo já fiz quase 5km de asfalto no centro da cidade que estava intransitável mas já está se enchendo de buracos tudo de novo. Eu comecei a fazer o concreto na Santos Dumont já estamos chegando ali no Valerios e fizemos no Santa Rosa junto com a comunidade, três ruas em concreto e estamos concluindo a quarta e estamos chegando em 1km e meio de concreto armado no Umariaçú. Então se você somar, já fizemos mais de 6km de concreto armado com recurso próprio e vamos continuar fazendo.
Sei que estão reclamando que estamos fazendo o concreto no Umariaçú, mas o povo tem que entender que temos mais de 10.000 habitantes do Umariaçú até o início de Limeira que ficam totalmente isolados, então nós precisamos dar condições para aquele povo ir e vir. Assim que terminarmos esta estrada, nós passaremos novamente para as outras ruas daqui da cidade. Tenham a certeza que não iremos parar os trabalhos.

Otávio Souza – O concreto do Umariaçú é um projeto do AmazonLog ou é um trabalho Prefeitura de Tabatinga?

Saul – Eu até hoje não recebi um real nem do governo federal nem do governo do estadual e nem do AmazonLog. Tudo que estamos fazendo é com recurso próprio e eu sempre fiscalizando. Eu não fico no gabinete da prefeitura. Eu vivo em cima de uma moto andando por toda a cidade. Eu estou na obra, estou no transporte, eu vou na saúde, na educação, eu estou na rua. Se a rua está cheia de lama, eu também estou dividindo essa problemática com todo mundo.

Otávio Souza – Há duas semanas atrás foi falado que o governo do estado junto com o governo federal estariam disponibilizando um montante de 17 milhões para o município de Tabatinga. Isso procede? Esta verba foi liberada ou ainda está em fase de tramitação?

Saul – Estava em Tabatinga quando recebi uma ligação de Manaus para ir falar com o governador. Uma vez eu fui e ele não me recebeu então eu disse que só voltaria quando ele quisesse me receber. Cheguei em Manaus e fui eu, Afonso Lins, Eduardo Braga e Átila Lins. Falei com o governador Amazonino e ele me disse as seguintes palavras: “vamos quebrar o gelo” e eu falei para ele “não tem gelo governador, o senhor que criou este problema, eu acredito que nós gestores públicos temos que atender a comunidade, em Tabatinga o senhor teve muito voto então o senhor tem que ajudar também”. Então ele disse: o que preparamos para o Saul em Tabatinga? Eles falaram que 20km de concreto e então ele pediu para eu escolher os locais para aplicar essa verba e que iríamos fazer. Eu escolhi todas as ruas e já mandei o projeto e está em tramitação. Então foi assim que aconteceu, não sei se tem ajuda do governo federal ou se é só dele, eu só sei que ainda não chegou mas estou esperando. Espero que saia esses 20km de concreto para Tabatinga.

Otávio Souza – Dizem que existem emendas do senador Eduardo Braga com apoio do governo do estado para Tabatinga. Isso procede?

Saul – Do Eduardo Braga foi direto do ministério. Fiz um convênio com o senador Eduardo Braga de 10 milhões também para concreto em Tabatinga, está em tramitação, ainda não saiu nada. Fiz também com o senador Omar Aziz, mais 10 milhões para concreto em Tabatinga. Convênios temos bastante, agora o povo tem que entender que estou 1 ano e 5 meses à frente deste governo e ainda não tivemos governador. Em 2017 passou 3 governadores, agora que está começando tudo de novo e ainda não tivemos um governador focado na Administração. O Amazonino agora que começou a administrar e já vem novas eleições, então o mandato ficou um pouco comprometido. E goste ou não algumas pessoas, nós estamos fazendo sem ajuda do governo.

Otávio Souza – Sobre as Blitz que estão acontecendo em Tabatinga, as motos que estão sendo apreendidas, o povo quer saber se senhor já tem uma prévia de quanto foi arrecadado com as apreensões e qual o destino desta verba para a melhoria do município?

Saul – Se formos somar este valor talvez não pague nem os agente de trânsito, eu quero dizer que 1km de concreto custa mais de 1 milhão de reais. A intenção das blitz não é a de arrecadar, e sim de conscientizar e livrar a pessoa da morte. Tabatinga é um dos municípios que mais tem acidente com fratura craniana. É uma lei federal o uso de capacete e estou sendo cobrado pelo ministério público federal, ministério público do estado, juiz, enfim, todo mundo! Ou eu faço ou eu pago as penas. Ainda tem outro fator, as blitz estão ajudando para melhorar a segurança da cidade, já foram aprendidas varias armas, só essa semana foram devolvidas 3 motos roubadas. Então o que nós queremos com esse trabalho do trânsito é organizar, o nosso foco não é arrecadar. Agora se a pessoa não quer obedecer as leis, ela tem a opção de mudar do Brasil ou cumprir com os deveres pois vivemos dentro de um regime da constituição federal e que devemos obedecer. É proibido dirigir sem documentação, sem capacete e menores de idade. Estamos só cumprindo a lei.

Otávio Souza – Sobre as reclamações dos buracos e lama nas ruas que cada dia fica mais evidente. O que o prefeito tem a dizer a população?

Saul – Quero dizer que não fico com raiva quando as pessoas cobram porque eu tenho andado nas ruas e realmente a cidade em 15 dias de chuva ela ficou destruída. Nós já tínhamos melhorado bastante e eu quero dizer que irei fazer de tudo para melhorar. Já falei dos convênios que acabamos de firmar e se Deus nos abençoar e esses convênios saírem, será uma nova fase em Tabatinga. Mas se não vir, eu com pouco recurso que eu tenho, irei continuar fazendo.
Saibam que eu iniciei o meu governo em 2017 e eu não tinha uma máquina funcionando, estavam todas quebradas e perdi o verão do ano passado. Este ano eu estou com as máquinas, estou me preparando para o verão porque é humanamente impossível fazer um trabalho quando se chove 17 dias direto, então onde estava bom ficou ruim e onde estava ruim ficou intransitável.

Otávio Souza – O que o senhor tem a dizer sobre o IPRETAB?
O funcional e o patronal estão sendo repassados. Não temos déficit no IPRETAB. Eu quando sai em 2012, deixei pro novo gestor dinheiro na conta do IPRETAB, quando eu retornei encontrei um parcelamento de 6 milhões de dívidas feito nos últimos dias que foi aprovado pela câmera dos vereadores, não recolheram nem o funcional e nem o patronal e parcelaram a dívida.
Hoje nós temos dinheiro no IPETRAB e nós pagamos servidores aposentados e pensionistas pelo IPRETAB. Então está sendo repassado sim, procure o presidente do IPRETAB e ele vai informar que tem o dinheiro sim. Inclusive o IPRETAB hoje está desvinculado da prefeitura, ele tem vida própria. Nós só repassamos o que é de direito para o IPRETAB.

Otávio Souza – Sobre as vicinais Norte I e Norte II, qual a ação que o prefeito tem para essas estradas uma vez que foi liberado ano passado uma verba na época que o Davi Almeida foi governador. Como está a situação desta obra muito importante para o escoamento de produtos da zona rural?

Saul – Quero aproveitar o momento e agradecer o Davi Almeida que na época como governador ele deu a ordem de serviço daquele convênio que nós tínhamos feito. Só que o Davi saiu e o novo governador vetou e Tabatinga teve um grande prejuízo porque a empresa começou, abriu as ruas com nossas máquinas e devolveram o projeto. É por isso que eu digo sempre: eu apoio Tabatinga, quando alguém pergunta quem eu vou apoiar eu sempre digo que quem ajudar Tabatinga. Eu não vou de hipótese alguma ajudar um político de fora que não ajude Tabatinga.

Otávio Souza – Sobre o enquadramento dos professores. A câmara já aprovou? Como está essa situação do enquadramento dos professores e do funcionalismo em geral?

Saul – A valorização do funcionário público estou fazendo. O tributos tinha uma equipe que recebia um valor e outra que recebia mais baixo, nós equilibramos. A guarda municipal, uns recebiam menos que outros, nós equilibramos. O enquadramento nós fizemos parcial mas fizemos. Enquanto o estado estava fazendo greve, os professores de Tabatinga receberam aumento. Eu desafio qualquer município do estado do Amazonas referente a valores de professores. Nós talvez sejamos o município que melhor paga. Nós estamos pagando muito bem e com muito orgulho eu digo, faça uma pesquisa no estado do Amazonas e veja qual é o município que já pagou o seu professor hoje, dia 25? Eu tenho orgulho de está cumprindo com o funcionário público.

Related Articles

Close
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker