AmazonasNovidades

Amazonas registra mais de 800 casos de crimes sexuais contra crianças em 2019

Dados da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) apontam redução nos números de casos de crimes sexuais contra crianças e adolescentes no Amazonas, entre 2018 e o ano passado, embora o número de casos ainda seja alto. Em 2019, foram registrados 813 casos na capital e interior, sendo que no ano anterior, esse número foi maior, alcançando 879 registros no Amazonas.

Dentre a natureza das ocorrências, o que mais chama a atenção são os dados relacionados a estupro de vulnerável. Em 2019 foram 358 casos envolvendo crianças de 0 a 11 anos de idade na capital e 64 no interior do Estado, somando um total de 422 casos.

Somente em janeiro de 2019, foram registrados 57 crimes envolvendo estupro de vulnerável, assédio sexual, aliciamento e constrangimento por meio de ato libidinoso contra crianças e adolescentes.

A estatística da SSP-AM ainda não divulgou os dados referentes ao mês de janeiro deste ano, mas o casos que vieram a público já assustam pela quantidade e pela crueldade com que eles têm sido cometidos.

No dia 16 de janeiro deste ano, Ronald Gomes Borges, 28, foi preso após estuprar, matar e esconder o corpo de uma criança de 10 anos, no município de Fonte Boa (a 678 quilômetros de Manaus). Depois de matar a criança, o homem escondeu o corpo dela embaixo de uma cama em sua própria casa. O desfecho do caso foi tão trágico quanto o crime que o homem cometeu. O homem foi retirado da delegacia pela população e teve o corpo esquartejado e queimado em praça pública.

A polícia tem atuado nas denúncias, que aumentaram na mesma proporção que as estatísticas.

Casos

No interior do Amazonas, a polícia investiga o caso de um bebê de apenas três meses que morreu após ser agredido e estuprado, supostamente pelos pais, em Autazes (a 113 quilômetros de Manaus). O exame de conjunção carnal, o confirmou a ruptura do hímen do bebê. O laudo médico expedido pelo hospital sobre a morte da vítima também atestou traumatismo cranioencefálico.

No dia 23 de janeiro, um comandante de embarcação, de 50 anos, foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva, por estupro de vulnerável. Ele é suspeito de ter abusado sexualmente da neta de sua companheira, uma menina de 13 anos. Segundo a delegada titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Joyce Coelho, os abusos começaram desde quando a menina tinha apenas 5 anos. Em setembro de 2019, ela resolveu denunciar o crime e a polícia passou a investigar o caso.

Na estatística de 2019, em segundo lugar, aparece logo após os dados relacionados a estupro de vulnerável, os dados de assedio sexual, aliciamento e constrangimento por meio de ato libidinoso contra crianças e adolescentes com 41 registros no estado.

No mês de janeiro deste ano, uma casa de exploração sexual de menores foi desarticulada pela Polícia Civil, durante a operação ‘Lupanar’, deflagrada pela Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente e resultou na prisão de três pessoas em flagrante. Duas adolescentes, de 14 e 16 anos de idade, eram exploradas sexualmente no local.

Denúncias podem ser realizadas na sede da Depca, localizada no Conjunto Morada do Sol, bairro Aleixo, zona centro-sul de Manaus, ou pela central Disque 100 do governo federal e 181 da SSP-AM.

Fonte: D24am

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios